3274-0104 - 3402-3721 - VIVO 9188-9889 - TIM 9602-2284 contato@jornalfolhadobatel.com.br

Não é segredo que muita gente gosta (ou precisa) de shopping. A facilidade para se encontrar artigos variados, as opções de entretenimento e mesmo um espaço variado para aproveitar um belo lanche depois de um cinema são opções normalmente encontradas em tais espaços. Que tal se aventurar um pouco mais que na procura pela vaga no estacionamento em feriados? Quer conhecer informações sobre a história de alguns locais aqui de Curitiba e, no próximo passeio com a família, surpreender a todos com curiosidades sobre os estabelecimentos?

O Folha do Batel decidiu fazer algumas pesquisas e trazer para você uma série de reportagens que abordam o assunto. A primeira delas será sobre um local projetado inicialmente para servir de construção militar. Sabe de qual estamos falando? Acompanhe com a gente!

O início

Projetado pelo engenheiro Francisco Monteiro Tourinho (1837-1885), o edifício que hoje abriga um dos shoppings mais tradicionais da cidade, o Shopping Curitiba, teve sua construção concluída muito, muito tempo atrás: em 1896 (exatamente 100 anos antes da inauguração do estabelecimento comercial). Na época — e nos anos subsequentes —, foi utilizado para hospedar a sede do Comando da 5ª Região Militar do Exército Brasileiro. Aliás, o profissional que o projetou é responsável também pela Ponte do Rio dos Papagaios, considerada um monumento da engenharia nacional por sua construção centenária de arcos de alvenaria em pedra.

Naquela época, o local seguiu o estilo militar vigente: linhas retas, detalhes em semiarcos e grandes janelas para permitir a iluminação da área interna. Estando à frente de um descampado e tendo ao redor chácaras e pequenas propriedades (e aqui podemos brincar que nesse “tempo só havia mato!”), sua modificação mais impactante foi a construção das escadarias e dos dois acessos decorativos, já nos anos 1940.

Em 1989, o Exército Militar iniciou as negociações para a venda do local. Sua nova utilização? Servir de instalação para o Museu David Carneiro. Entretanto, as coisas não deram muito certo, e o museu foi fechado em 1994. Em um artigo para o Estado do Paraná em 1990, Aramis Millarch afirmou que a expectativa era de que o acervo da instituição fosse liberado pelo Banco do Brasil: as dívidas contraídas pela família do historiador com a instituição somavam um valor expressivo na época. Falhado o projeto, em 1996 foi inaugurado o Shopping Curitiba, com um investimento de mais de 75 milhões de reais, segundo reportagem do mesmo ano escrita por Mônica Santanna para a Folha de São Paulo — a iniciativa reuniu a construtora Irmãos Mauad e as fundações Previ (Banco do Brasil), Banestado e Copel.

Mais de uma década depois, em 2008, o empreendimento foi revitalizado e ganhou um ar contemporâneo, com revestimento do piso, nova iluminação e escadas fixas e rolantes, entre outras mudanças.

Instalações

Hoje em dia, segundo o site oficial, cerca de 9 milhões de pessoas passam pelo local por ano, uma média de 750 mil ao mês, o equivalente a metade da população da capital. Só para se ter ideia, existem mais de 140 lojas, estacionamento para cerca de mil veículos e praça de alimentação com capacidade de 1.270 lugares espalhados por uma área total de 85 mil m², que inclui ainda seis salas de cinema e serviços diversos (como lotérica, farmácia e caixas eletrônicos). Além disso, ocorrem frequentemente eventos culturais e pocket shows no Largo Curitiba, um ambiente bem diferente do restante do shopping, carcacterizado por seus postes de luz, bancos e uma fonte (local dedicado à gastronomia).

Finalizando, o Shopping Curitiba possui inclusive aplicativos para smartphones com informações diversas relacionadas ao estabelecimento; com ele, é possível conhecer a localização de lojas, restaurantes e quiosques do shopping; guardar a vaga do carro e pagar o ticket do estacionamento; e conferir os filmes em cartaz no cinema, a programação de eventos, as promoções das lojas e demais novidades. Também há o Serviço de Atendimento ao Cliente via WhatsApp, por meio do qual clientes e lojistas poderão tirar dúvidas, fazer consultas e obter informações sobre todos os setores do shopping. O número é (41) 9183-7113.

Aparentemente, 20 anos em um edifício já centenário rendem muita, muita informação. Mantenha-se atento, pois logo tem mais História e histórias.

mais_fotos_em_curitibaantiga_ponto_com_1359922372 (2)