3274-0104 - 3402-3721 - VIVO 9188-9889 - TIM 9602-2284 contato@jornalfolhadobatel.com.br

As Olimpíadas estão se aproximando e, com elas, também as provas variadas. Entretanto, de todas elas, vamos falar de uma: do hipismo.

O hipismo, para quem não sabe, consiste em uma série de testes com um homem e um cavalo treinado para os desafios. São três as provas olímpicas:
– Adestramento: nesta modalidade, o cavaleiro será avaliado com nota de 0 a 10 se executar uma série de movimentos em um tempo pré-determinado;
– Saltos: uma série com vários obstáculos deve ser vencida, com o cavalo transpondo alturas que se fundamentam na força, potência, velocidade e obediência do animal;
– Concurso completo de equitação: as provas podem ser feitas em dois ou três dias, pois reúnem as duas anteriores, além da cross country. Sendo feita em um cenário mais natural, cavalos e cavaleiros devem saltar troncos e riachos, e a maneira como isso é avaliada está de acordo com o menor número de erros cometidos, além de uma série de outros critérios.

Teremos a oportunidade de conferir esse esporte ainda neste ano no Rio de Janeiro, mas não é preciso ser profissional para aproveitar a sensação de ter contato com um animal tão curioso. Equitar, afinal, está ao alcance de sua vontade e um treinador.

Existem revistas especializadas no assunto, inclusive encontradas na internet, para aqueles que querem esclarecer mais pontos. Algumas curiosidades que o envolvem são, por exemplo, o fato de haver sociedades nacionais e internacionais, como a Lausanne, na Suiça.

Fundada em 1921, reúne 33 países e, basicamente, regulamenta a prática profissional do hipismo, visando inclusive o bem-estar do animal. O nome dela? Do francês, FEI (Féderation Equestre Internationale), Federação Equestre Internacional. No Brasil, temos a CBH, fundada em 1941 e responsável pelas práticas nacionais da equitação e suas relações internacionais (daí o nome ser Conferência Brasileira do Hipismo).

Só que não há muitos segredos para andar a cavalo sem se preocupar com tantos detalhes ou ter de se profissionalizar no ramo. De qualquer maneira, é preciso já ter em mente: força na virilha é uma das características básicas para a prática.

O ideal seria que uma escola de equitação fosse procurada, visto que pessoas preparadas para quaisquer contratempos estarão acompanhando o processo. Só que há uma prática que possibilita mais uma ajuda e não compromete uma nova experiência ou uma já conhecida: a sensação de cavalgar.
Listamos a seguir 4 lugares próximos de Curitiba em que se pode aproveitar um passeio a cavalo ou apenas um contato maior com a natureza. Vale lembrar que cada um conta com suas taxas, então, é sempre interessante se informar para possíveis alterações das condições abaixo listadas:

RANCHO DO CAVALO

IMAGEM 1 (2)
A apenas 20 minutos de Curitiba, na Região Metropolitana da cidade, funciona sábados, domingos e feriados (durante a semana também, mas com agendamento). Inclui passeios ao Anhangava em três horas que passam inclusive por cachoeiras, trazendo também um café colonial. O estabelecimento salienta que são animais mansos, tendo inclusive passeios internos, pra quem não pensa em tanto tempo cavalgando. Ah, eles também trabalham com venda. Os telefones para contato são (41) 3672-1574 ou (41) 9937-5832 (José). Fica na Avenida São Sebastião, 2800, em Quatro Barras.

HOTEL FAZENDA DAS ARAUCÁRIAS

Girls riding ponies

Girls riding ponies

Localizado em uma área preservada da Serra do Mar, Possui três piscinas, parque infantil, campo de futebol, lago para pescaria e trilhas para caminhada. Suas hospedagens também prometem diferencial: casarão estilo fazenda com suítes para até 5 pessoas.

Eles também oferecem o centro hípico para prática do esporte, além de aula de equitação, hospedagem para cavalos, curso de hipismo, transporte de equinos e compra e venda de cavalos. Tudo isso pode ser usufruído, entretanto, somente com reservas. O endereço é Rodovia BR 277, KM 61, Jardim das Américas, e o telefone para contato é o (41) 3673-1696.

VILA DOS ANIMAIS

IMAGEM 3

Trata-se de um parque temático que promove o contato com a natureza, com ambientes de fazenda e animais que não fazem parte de um cotidiano urbano. Ele também conta com projetos educacionais.
Abrindo todos os domingos do mês e em feriados nacionais, baseando-se nas condições do tempo, é cobrada uma taxa de R$ 40 pelo passaporte básico ao público em geral, havendo também pacotes executivos e para aniversariantes. Ah, importante lembrar que o consumo de alimentos só é permitido na lanchonete local. Também é possível aproveitar um passeio de trem conforme as especificações do parque.
Ele fica em Campina Grande do Sul, na Cantídio Silva (s/n). O telefone para contato é (41) 9186-5872 ou (41) 3676-1518.

FAZENDA PICO DO PARANÁ

IMAGEM 4 (2)

Vamos começar dizendo como chegar lá: saindo de Curitiba, pega-se a Rodovia Régis Bittencourt (BR 116), sentido São Paulo. Após 40 km, contando do Trevo do Atuba (KM 48), você encontrará o Posto Tio Doca, no lado esquerdo da rodovia. Seguindo adiante por mais 1,8 km, chega-se na ponte sobre o Rio Tucum (KM 46). Exatamente na cabeceira desta ponte, antes de cruzá-la, entrar numa estrada de saibro, no lado direito. Segue-se por esta estrada aproximadamente 5,5 km, até a Fazenda Pico Paraná. Nesta estrada há algumas bifurcações. A direção correta está indicada por placas com o escrito “FAZENDA PICO PARANÁ”.

Lá, são oferecidos os serviços de camping em meio a rios e cachoeiras, devendo todos os equipamentos para acampar serem levados pelo visitante. O valor cobrado é de apenas R$ 15, sendo possível, na chamada Casa de Apoio, aproveitar a lanchonete do local, que também é ponto de encontro de montanhistas e aventureiros em geral, contando suas histórias e planejando novas.
Por que tudo isso? Pois é possível aproveitar trilhas de duram de 6 a 8 horas, sendo exigidos da pessoa lanterna e apito para visitas ao cume do Pico Paraná, assim como ao Pico Caratuva, que dura em torno de 3 horas (mais ou menos se o destino for o Pico Caratuva). Há, por último, a Cachoeira Arco-Iris, com apenas 10 min de caminhada. Para um fim de semana desse, não desconsidere o esforço físico.

O contato para mais informações é o (41) 9906-5574.Gostaram das opções?

Outras ainda podem ser encontradas em pesquisas rápidas e você certamente achará uma que atenda suas expectativas.