3274-0104 - 3402-3721 - VIVO 9188-9889 - TIM 9602-2284 contato@jornalfolhadobatel.com.br

Violência contra mulheres no Brasil

Infelizmente, os dados sobre referente a violência doméstica não são nada satisfatórios. Segundo uma pesquisa feita pela Datafolha, uma em cada três mulheres sofre algum tipo de violência. Não é novidade que quase sempre esta violência vem dos próprios namorados ou maridos. Mesmo com toda uma disseminação de conteúdo que tenta reeducar e desconstruir certas opiniões, e, até mesmo, acabar com a cultura machista que tanto é vista ainda no país, ainda não há muito que comemorar.

As informações divulgadas mostram que cerca de 22% das mulheres sofreram violência verbal no último ano. Essa porcentagem dá um número equivalente a 12 milhões de mulheres. Não bastasse a violência verbal em um índice tão alto, ainda 10% sofreram ameaças de serem violentadas fisicamente, 8% foram abusadas sexualmente e 4% foram ameaçadas com armas, sendo arma branca ou de fogo.

Os índices não melhoraram
Os números ainda continuam a chocar: 1,4 milhão foram espancadas e 1% já levou, no mínimo, um tiro. Além da divulgação sobre os tipos de violência, a pesquisa também informou os percentuais sobre as atitudes tomadas pelas mulheres: 52% delas se calaram depois de violentadas, poucos 11% procuraram uma Delegacia da Mulher para dar queixa e 13% optaram por procurar ajuda da família.
O pior de tudo é que em maior parte o agressor é conhecido.

No ano de 2016, um número alarmante de mulheres foi vítima de agressões físicas. Foram 503 mulheres por hora no país. A pesquisa foi encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança e mostra que, apesar de tudo, ainda persiste a violência contra a mulher no Brasil.
Embora muitos avanços tenham sido alcançados com a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), ainda assim, hoje, contabilizamos 4,8 assassinatos a cada 100 mil mulheres, número que coloca o Brasil no 5º lugar no ranking de países nesse tipo de crime. Segundo o Mapa da Violência 2015, dos 4.762 assassinatos de mulheres registrados em 2013 no Brasil, 50,3% foram cometidos por familiares, sendo que em 33,2% destes casos, o crime foi praticado pelo parceiro ou ex. Essas quase 5 mil mortes representam 13 homicídios femininos diários em 2013.

“Antes de ensinar golpes, é importante fazer com que cada aluna entenda que é capaz de se defender, de reconhecer um possível agressor e não ser um alvo vulnerável ” comenta Márcio André Sueoka 34 anos, Instrutor de Gracie Jiu Jitsu , paulistano responsável pelo Workshop de Defesa Pessoal Para Mulheres diretor da academia Authentic Brazilian Jiu Jitsu em sua 2ª edição na cidade de Curitiba, onde ministra uma nova proposta para auto defesa feminina.
Segundo Marcio “As técnicas são de Gracie Jiu-Jitsu e todas podem participar, independente do porte físico e idade.Única luta reconhecida como defesa pessoal, e não arte marcial, a modalidade consiste em técnicas de respostas simples, rápidas e objetivas para situações de violência no dia a dia. Não há competições, apenas o desenvolvimento das técnicas que possibilitam a qualquer cidadão comum se defender, independente da força física, idade ou sexo.”

Benefícios da Luta Defesa Pessoal

Proporciona qualidade de vida, com a prática de exercícios regulares melhoram as funções do corpo e aumenta a auto-estima;Contribui para as habilidades físicas, aumenta a força, flexibilidade, coordenação motora, velocidade, agilidade e resistência nas situações de emergência.
Melhora o aspecto emocional, confiança, autodisciplina e determinação para alcançar objetivos.

Segundo ele explica, o treinamento consegue transmitir aos praticantes as diversas possibilidades de defesa para cada tipo de situação da agressão. “Do ponto de vista físico, o princípio desta modalidade de defesa é que os exercícios sejam executados por qualquer pessoa, em seu ritmo próprio, respeitando o limite de seu corpo. Ainda assim, há o estímulo para que os alunos se exercitem diariamente”, explica o mestre.

Já do ponto de vista psicológico, a modalidade também é eficaz na formação de pessoas mais seguras. O mestre defende que, quando as mulheres descobrem que, apesar de não terem a mesma força física do homem, são capazes de se defender de forma simples e eficiente, elas adquirem confiança.
Por fim, a luta é também uma maneira de melhorar a percepção de modo geral e de adquirir um comportamento mais atento nas ruas, em locais públicos ou mesmo em casa, quando há uma situação de risco com um parceiro potencialmente agressor, por exemplo.

Explique sobre o método e algumas técnicas aplicadas na luta : “Defesa Pessoal” e como ela surgiu no Brasil.
Marcio André: O Gracie Jiu Jitsu, surgiu no Brasil através da adaptação do sistema de alavanca nos golpes Já existentes do Jiu Jutsu, o estilo japonês que foi trazido ao Brasil por Mitsuyo Maeda. Helio Gracie foi quem adaptou as técnicas que a partir de então proporcionou lutadores menores vencerem os maiores e mais fortes. O método do Gracie Jiu Jitsu visa reconhecer e antecipar qualquer tipo de agressão, contendo um agressor sem se machucar e sem machucar o oponente.

FB-Quais os benefícios e vantagens em se aprender Defesa Pessoal do ponto de vista física e psicológica ?

Marcio André: A prática e a repetição proporcionam auto confiança e controle emocional, faz com a pessoa se sinta segura, se tornando uma pessoa mais calma e tolerante. A partir de uma postura confiante e uma mentalidade alerta de imediato, deixamos de ser um alvo fácil para agressores. Além de ser uma atividade física para fortalecimento muscular, alongamento, lateralidade e equilibro do corpo facilitando o emagrecimento.
Defesa Pessoal é reconhecer e antecipar qualquer tipo de agressão, seja ela física, mental e até mesmo alimentar, dentro do Gracie Jiu Jitsu buscamos uma boa alimentação através da Dieta Gracie desenvolvida pelo Grande Mestre Carlos Gracie.

FB- Na sua academia se ensina defesa pessoal, e o Jiu-Jitsu, por ter esse foco na neutralização da outra pessoa, pode ser muito útil em situações de risco. Mas uma pessoa que não conhece as técnicas, no entanto, pode apelar para algumas formas mais básicas de defesa ? Pode nos deixar algumas dicas ?
Marcio André: Nós da Authentic Self Defense temos como objetivo nesse Workshop para mulheres, libertar as mulheres aprisionadas no medo por acreditarem erroneamente serem frágeis e incapazes de se defenderem, resgatando a auto estima, auto confiança e com a prática de exercício um corpo e uma mente saudável voltada ao bem estar e qualidade de vida.Ensinamos defesa pessoal, Gracie Jiu-Jitsu, por ter essa eficiência no controle da situação , em momentos críticos de risco. Algumas dicas úteis podem evitar a agressão, como estar sempre em alerta, conhecer os caminhos por onde anda, confiar no sexto sentido e buscar aprender as técnicas antes que precise.

“Mais vale ser um soldado num jardim, que um jardineiro numa guerra!”
Serviço : Autentic Brazilian Jiu Jitsu
Telefone: (41) 995 447 033
Site: www.abjj.com.br
Facebook: @authenticbrazilianjiujitsu
E-mail:authenticselfdefense@gmail.com

Márcio André praticante da arte marcial desde pequeno, encontrou na filosofia do Gracie Jiu Jitsu a eficiência da auto defesa, há 10 anos dedicado ao Jiu Jitsu, formou-se instrutor pela Academia Gracie Humaita da cidade de Registro com o renomado Professor Luciano Ribeiro. Hoje, Proprietário da Escola Authentic Brazilian Jiu Jitsu de defesa pessoal, fiel ao legado do GM Helio Gracie na cidade de Matinhos-PR, viaja pelo o Brasil com o projeto Authentic Self Defense, que ministra curso e palestras de defesa pessoal e qualidade de vida.