3274-0104 - 3402-3721 - VIVO 9188-9889 - TIM 9602-2284 contato@jornalfolhadobatel.com.br

O que é Alergia?

Saber mais para sofrer menos.
Um em cada cinco de nós sofre ou sofrerá de uma alergia durante sua vida. Parece também que as alergias estao aumentando. Apesar de grandes progressos nas pesquisas imunológicas, ainda estamos muito longe de resolver o problema da alergia de uma vez por todas. Por isso, um “bom sofredor de alergia” faz perguntas como:

O que é alergia?

Alergia é doenca?

Por que eu sou alérgico?

Como faço para evitar os sintomas e como eu posso impedi-los?

O meu filho vai ser alérgico?

Posso evitar que meu filho seja alérgico?

Como reconhecer e tratar as alergias?

Qual é a idade para se ter alergia?

Quais as doencas alérgicas mais comuns?

Queremos aqui responder algumas destas perguntas, como for possível, e torná-lo familiarizado com alguns termos e vocabulário especializado de Alergologia. Talvez voce consiga descobrir o porquê de algumas de suas queixas. Se você já suspeita o que poderia ser a causa de sua alergia, isso irá ajudar a si mesmo e também ao médico a chegar no diagnóstico.

O QUE É ALERGIA?

Alergias são reações excessivas do organismo a substâncias consideradas injustamente prejudiciais. Uma resposta normal é o desenvolvimento de imunidade, ou seja, um sistema de defesa para uma proteção específica. Nosso sistema imunológico tem como funcao nos proteger contra a entrada de materiais estranhos e danos causados por eles. Seus mecanismos de defesa são muito sofisticados e de difícil compreensão.

O sistema imunológico produz anticorpos, que são como os “defensores” da nossa integridade física. Pode acontecer, no entanto, que o sistema imunológico reaja mais do que o necessário contra uma substância, que, apesar de ter sido percebida como um invasor, na verdade nao era ameaca nem perigo real. Com isso, o sistema imunológico acaba levando a reacoes prejudiciais ao nosso organismo. Portanto, há uma “mudança da imunidade” levando a “doenças de hipersensibilidade” específica = alergia. Uma substância (antígeno) que desencadeia uma resposta alérgica é denominado de alérgeno.

A seguir, alguns termos técnicos:
Alergologia: especialidade médica que lida com o estudo e tratamento de alergias.

Sensibilidade: resposta normal a um estímulo.

Hipersensibilidade: resposta excessiva a um estímulo.

Sensibilização: aumento da sensibilidade a uma substância após o contato repetido com ela.

Alergia: hipersensibilidade resultante de uma sensibilização imunológica.
Alérgeno: uma substância que pode causar reações alérgicas
Atopia: hipersensibilidade com predisposição hereditária para a asma alérgica, rinite alérgica e dermatite atópica.

Imunidade: capacidade do organismo para se defender de influências externas.
Antígeno: ver anticorpo.

Anticorpo: substância que circula no sangue após a entrada de substâncias estranhas (antígenos) e é responsável pela defesa imunológica (sinônimo: imunoglobulina).

Imunoglobulina E: abreviado IgE; um, dos vários tipos de anticorpos, que desempenha um papel nas reações alérgicas imediatas (ver também anticorpo).

Nosso sistema imunológico tem uma boa memória.

Se o nosso corpo entra em contato pela primeira vez com uma substância estranha, um antígeno, o sistema imunológico aprende a reconhecê-lo. Produz-se anticorpos específicos ou células imunes contra este antígeno, pronto para uma resposta futura. Em uma nova exposicao do organismo ao antígeno, o sistema imunológico reconhece-o e age mais rapidamente contra, graças à sua memória. Assim sendo, alguém que sofre de rinite a pólen, por exemplo, irá reagir cada vez mais se ele tiver contatos com um pólen que seu sistema imunológico criou memória.

As “reações alérgicas” nao ocorrem de uma mesma maneira, sao muito diversificadas. Os vários tipos de “alergia” ocorrem em diferentes formas, diferentes órgãos e diferentes intensidades.

ATOPIA
Entre as muitas reacções alérgicas são as “doenças atópicas” a maior parte delas. Existem três doenças atópicas clássicas: “eczema atópico” (também chamado de neurodermite ou dermatite atópica), a chamada “febre dos fenos” ( rinite e conjuntivite alérgica) e “asma alérgica”.

Indivíduos atópicos geralmente têm “predisposição genética” para muitos dos anticorpos da classe IgE (IgE = imunoglobulina E). Estes anticorpos IgE são dirigidos contra alérgenos que existem em nosso meio ambiente, tais como pólens, poeira doméstica, mofo, pêlos e pele de animais, alimentos e muitos mais.

“O RISCO DE SER ALÉRGICO FOI HERDADO”.

Se um dos pais tem uma doença atópica, a criança tem 20 -30% de risco de desenvolver tal doença. Se ambos os pais sofrem da mesma doença atópica (por exemplo, pai e mãe têm asma), o risco aumenta para 75%. No entanto, pode acontecer da alergia “pular” uma geração da família.

Medidas preventivas de alergia para o bebe:

Algumas crianças são particularmente de alto risco para ser tornarem alérgicas, especialmente se elas nascem na família onde já existe alergia, por exemplo, os pais. O risco de reações alérgicas em crianças pode ser diminuído se “logo após o nascimento” seguirem condutas. Aqui algumas delas:
Amamentar seu filho, se possivel, até o sexto mês de vida.

Procure o conselho de seu médico sobre o leite que deveria ser utilizado como complemento, se necessário, e também após o desmame.
Alimente a criança com alimento sólido só a partir do sexto mês de vida.

Mantenha o quarto da criança “livre de poeira”. Ventilar o quarto da crianca, cama e colchao limpos todos os dias (pode com aspirador de pó, de preferência com filtro HEPA).

Evite mofo onde mora!

Nao fumar dentro de casa – melhor mesmo é voce nao fumar!
“Confie no seu médico” e não em “curandeiros ou curas milagrosas”